quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Bukowski: romances, contos e poemas na Coleção L&PM Pocket! - L&PM WebTV - BOOKTRAILERS

Bukowski: romances, contos e poemas na Coleção L&PM Pocket! - L&PM WebTV - BOOKTRAILERS

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Detalhe de minha página

Outro detalhe de página ainda com algumas 'melhorias' a serem feitas.....passando pro A3.......


Oficina Asimov......


Tiago Cunha

d-!-b

Asimov.....

Opa....como estão todos....


Oficina de Auto-publicação Asimov.....

Chegando no final....

Detalhe da minha página para a HQ coletiva que estamos produzindo,,,,tema:ficção científica...acho que vão gostar da(s) história(s).....

O resto fica pra quando sair a HQ digital...

Vou precisar que ajudem a divulgar....sei que posso contar com todos....

Tô passando pro A3 a página....

Abraços,me digam o que acharam,apesar de eu saber que meu desenho ainda é um pouco cru,mas estou aprendendo,,,,,eternamente,,,,,,

Tiago Cunha

d-!-b

domingo, 1 de julho de 2012

terça-feira, 22 de maio de 2012

Hai Kai

" Ah,a rotina
Sempre escondo
Atras da Cortina "

TiagodaCunhaMagalhães

A Toca

Olá,Bemb@nautas,prazer ter voces novamente aqui pelo Blog....e,pra não esquecer a psicodelia e deixá-los sempre com os pensamentos embaralhados e confusos,um texto que comecei em 2007 e acabei estes dias,,,um abraço,energias positivas e uma ótima leitura...




A TOCA









Havia um buraco na parede.Bem no rodapé.Que nem buraco de rato.Assim,meia-lua.Buraco de rato.Mas ali habitava de tudo,menos rato.De vez em quando era um caolho.Outras vezes,um besouro do antigo Egito batia forte suas asas no interior do buraco.Cavoco de rato.Mas lá não haviam ratos.Os gatos tinham dado um jeito.E algumas ratoeiras com queijo velho também ajudaram.Quem sabe?Será que eram buracos de ratos...Pois tinham mais de um.Eram vários.Tinha a plena noção de serem infinitos.Talvez até uma grande cidade de buracos.Onde iam e vinham pelos buracos.Todos.Menos os ratos.Eles não moravam nos buracos de ratos.Os buracos.Não tinham ratos.Eram em forma de meia-lua.Buraco de meia-lua.E,quando o caolho saía,ninguém mais entrava.Tudo se calava.Até os ratos em seus buracos.Ficavam quietos.Comendo seus queijos de suas ratoeiras.Nem sempre eles terminavam,pois as vezes as ratoeiras terminavam com eles.Só ficavam os bigodes.E alguns rabos.Dentro dos buracos.Se juntavam as teias de aranha,na cidade-emaranhado-de-buracos.Não tinha a menor graça.Aquela confusão,nunca entendia.E nunca parava cheia.Sempre acabava.São uns ratos.Sempre terminam.Se ainda buscassem mais nos buracos.Mas estão cheias destes castos,terminando minha bebida e me deixando multiplicando e acabando com tudo.Em dobro. TiagodaCunhaMagalhães

quinta-feira, 17 de maio de 2012

TRATO FEITO

Sempre o começo é difícil,faz parte. Todo negócio tem sua manha,tem seu jeito,tem sua arte. Um pouco,mais,um pouco menos o tempo vai te perseguir. Só cuidado cidadão,com o que tu deixar fluir. Pois toda idéia,todo corpo,é um enorme labirinto. Com tantas curvas,tantos becos,cheio de quartos e recintos. Por dentro eu imagino uma incrível harmonia. Ele não para por um instante,funciona sempre,noite e dia. Salve a todos que estão juntos na tal categoria humanidade. Só se liguem na conduta,pra não ter muita maldade. A ganância e o egoísmo,não fazem parte da história. Que monta o coração,corpo,mente e memória. Na metade já me acho,sei o rumo que estou tomando. Só lamento que não encaixo,estar escrevendo e sóbrio ficando. Não se iluda com promessas ou com quem não te respeita. A vida é curta,não te apressas,no final tudo se ajeita. Fui na boa,sem problemas,mesclando o que pude achar. Montando então o meu esquema,pra no início do final chegar. “Salve o céu,salve as estrelas, Salve a pena de urubu Pra terminar eu posso vê-las Iluminando bem todo seu sul” Escapou de minha ácida,porém sentida fina-rima. Da próxima não há plácida,nem rei que fique em cima. De um muro de concreto ou de texto bem armado. Sempre uso o alfabeto em sentido desmontado. Tiago da Cunha Magalhães

terça-feira, 1 de maio de 2012

Café com leite

Atirada em cima do sofá verde-estranho,continuava com o mesmo olhar desde os últimos três minutos,mexia no fiozinho de lã que saía do rasgão que escancarava o forro bagaceiro do móvel.No braço do pequeno repousadouro de corpos,sua mochila com motivos infantis demais para eu entender,sutis e educados,bem simples mesmo.Tudo ali representava simplicidade.Seus cabelos eram finos e dourados,curtos,desalinhados.Falava ao celular,sorriso nos lábios,uma caneta também entre eles. -Tá marcado,então,ela disse.Suas (poucas) roupas evidenciavam algo que eu queria,mas não podia. Queria encerrar logo,ir embora,mas... -Desculpe não abrir a porta,estava no celular.... -Tudo bem,ela estava aberta,na verdade,eu... -Fica a vontade,viu,vou me trocar e já volto. -Como eu ia te explicar,eu vim aqui pra... -Como ficou sabendo de mim?(sua voz vinha de outra peça do pequeno apartamento com paredes descascadas e ocre,)-respondeu ela sem ouvir o que eu tinha pra dizer novamente. -Bem,eu nem sabia quem estava ocupando esta sala até que eu precisei... Quando ela saiu da sala lateral,a visão me traiu e ficou turva,depois vertiginosa,e então meus óculos embaçaram me obrigando a tirá-los.Apenas uma pequena camisola fina e transparente separavam aquela linda e escultural menina-mulher do ambiente.Mas não era minha intenção,eu não queria.Estava ali para... -Prazer,meu nome é He... -Posso te pedir uma coisa? -Com certeza,o que quizer. -Sem apresentações,adooro mistério!-e sorriu,o sorriso mais largo e contente que eu havia visto nos últimos parágrafos. -Tudo bem,também gosto de mistéério,uhuhu,-balbuciei meio sem jeito abanando as mãos.-Na verdade eu não sei bem como é,sempre foi o arroz com feijão,e não sabendo seu nome,aí ferrou! -Deixa comigo,vou te deixar bem a vontade.Modestia a parte,sou boa com iniciantes,sempre voltam. -Tudo bem então,mas olha hein,sou meio assim... -Assim como...-,disse ela chegando perto de meu ouvido e falando umas coisas que eu não entendia,mas que fizeram o efeito que ela queria. -Prefere no escuro ou a meia-luz? -Como é escuro aqui dentro,não. -Já reclamei,mas não veio ninguém ver...é sempre assim,uma mulher sozinha, é difícil de conseguir ajuda pra essas coisas do lar... -Moça,é isso que estou tentando dizer de quando cheguei aqui até agora,sou o dono do prédio,recebi muitas reclamações e estou passando pessoalmente sala por sala para conversar com os locatários,mas em seu contrato dizia”Prestação de Serviços”. -Ai,coitadinho,olha o estado em que eu te deixei.Nem ofereci um cafézinho,aceita?Ou prefere que eu termine o que comecei,aí eu te acompanho.Mas o meu eu quero com leite... Tiago da Cunha Magalhães

sábado, 31 de março de 2012

Uma galera q eu conheço deve estar lamentando não ter R$ 12,5 mil ...... http://g1.globo.com/pop-arte/noticia
/2012/03/arquivo-de-250-mil-gibis-contem-verdadeiro-tesouro-diz-pesquisador.html

As Leituras do Pedro: Selos & Quadradinhos (76)

: )


As Leituras do Pedro: Selos & Quadradinhos (76): Stamps & Comics / Timbres & BD (76)   Tema/subject/sujet: Thorgal País/country/pays: Bélgica/Belgium/Belgique Data de Emissão/D...

quinta-feira, 8 de março de 2012

domingo, 5 de fevereiro de 2012